[img:leaoMedalhao.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]Prezados Participantes da PLD

    Estamos inagurando, nesta data, o blog da Legítima Defesa. Será para nós uma excelente ocasião para comentarmos as notícias do dia a dia, e Vv. poderão acrescentar seus comentários, enviar fotos e materiais para divulgação fazendo com que o nosso site seja cada vez mais inter-ativo.

    Os autores de comentários neste blog serão, além deste que lhes escreve: José Luiz de Sanctis, Marcelo Pereira, e o Coronel Paes de Lira.

    Vocês estão convidados a fazer comentários de nossos artigos.

    Atenciosamente
    Diogo Waki
    Coordenador Paulista da PLD
    [img:DIOGO_1_2_3_4_5_6.png,thumb,centralizado]

Trackback

38 comments untill now

  1. Marcelo Pereira @ 2007-10-29 16:32

    Parabéns ao Diogo pela importante iniciativa de disponibilizar um espaço para discussão dos importantes temas que permeiam a agitada situação nacional. Precisamos de todas as formas lícitas de divulgação de nossas idéias, para fazermos frente à socialização comunista que o governo do pt está impingindo à Nação.

  2. Francisco Sena @ 2007-10-31 10:23

    Parabéns pela iniciativa. Certamente, esta forma de contato será bem mais interessante.

    Fraterno abraço

  3. JOAO JOSE @ 2007-10-31 10:58

    Parabens pela iniciativa.

  4. Boa Iniciativa,

    Espero ver aqui publicado, em breve, a notícia da derrubada do estaburro do desarmamento. Sou do RJ e não vi nenhuma redução de criminalidade em função do mesmo.
    Saudações. PLD!!!

  5. Marcio F. Barci @ 2007-10-31 11:59

    É por aí…
    Parabéns pela iniciativa, sómente publicando exaustivamente e pressionando ‘os honestos homens das Camaras’ conseguiremos ser ouvidos e preservar nossos direitos.
    Estamos a postos

  6. Jorge Bernardo Fabri @ 2007-10-31 11:59

    O PLD, uma das únicas vozes no Brasil a defender nosso direito à legítima defesa, já necessitava de um instrumento como este há algum tempo. E nós, cidadãos de bem, conscientes não só dos nossos deveres, mas também dos nossos direitos, esperamos que novas iniciativas como esta sejam disponibilizadas. Principalmente para organizar movimentos para barrar o flagrante processo antidemocrático que vem sendo implantado pelo PT, pelo Foro de São Paulo, pelo MST, pelo José Dirceu, entre outros. Não podemos ficar de braços cruzados assistindo e depois reclamarmos sem ter feito nada para evitar o mal maior. Que não está muito longe.

  7. Recebi uma matéria hoje pelo meu e-mail particular que fiquei de boca aberta, achei isso o cumulo do absurdo, estou procurando um fundo de verdade até agora, soube que o homem que se diz ser o nosso Presidente mais que na verdade e uma pura “MARIONETE” fez com que a emissora demitisse o Boris Casoy, e também fez com o Jabor fosse obrigado a pagar um multa por ter falado coisas sobre ele, será que estamos voltando para a nossa era da “DITADURA”, tem tanats coisas para ele ver, tipo policial que fica pedindo esmola de R$1,00 para compretar para beber refrigerante, leite adulterado, fiscal da policia fazendaria subornado os pequenos impressários etc.
    E uma pena pois vivemos em um pais tão legal, mais tem hora que chega a dar nojo de tudo e de todos.
    Abraço,
    Vanice

  8. Parabéns ao PLD por mais essa iniciativa em pról dos homens de bem.

  9. MUITO BOA A INICIATIVA DE CONTRIBUIR COM A VOZ DOS BRASILEIROS QUE DESEJAM SE EXPRESSAS NO ÂMBITO DA UTILIZAÇÃO LEGAL DE ARMAS DE FOGO.
    PARABÉNS, ESPERAMOS SOMAR INFORMAÇÕES QUE CONTRIBUAM COM A VERDADE SOBRE AS ARMAS DE FOGO.
    ANTONIO DIAS.

  10. Paulo Sergio @ 2007-10-31 12:55

    Parabens pela iniciativa, lembrando que a maioria decidiu o mesmo no referendo! Vamos fazer cumprir a vontade da maioria.
    ABraços e felicidades

  11. Marcelo Souza @ 2007-10-31 13:06

    Parabéns e sucesso a esta mais nova ferramenta do PLD, pois para combatermos este regime de “Ditadura pela Democracia” que vivemos no Brasil toda e qualquer ação é bem vinda.

  12. Claudio Marques @ 2007-10-31 13:28

    Parabéns por mais essa iniciativa. Aproveitanto a oportunidade sugiro a vocês que iniciem uma outra campanha, mas agora pela mudança das nossas leis tornando-as mais severas com crimes ediondos NÃO permitindo que homicidas fiquem livres em pouco tempo.
    Sou de Maringá no Paraná e aqui recentemente aconteceu um crime brutal contra uma menina de 10 anos. E fazendo as contas verifiquei que o sujeito pode ficar preso por apenas alguns anos e logo ser solto para cometer outros crimes (uma vez que nosso sistema não ajusta ninguém). Sou a favor de prisão perpétua e que o criminoso trabalhe para se sustentar. PORQUE NÃO ENCARAR ESSA CAMPANHA? Acredito que a grande maiorias das pessoas (de bem) pesam como eu.

  13. Marco Antonio @ 2007-10-31 13:59

    Parabéns pela iniciativa, e vamos juntos com toda força necesséria mostrar a estes idiotas que
    desarmamento nào é assim que se faz.
    Mais uma vez,parabéns
    A braços fortes.

  14. Luiz Alves Dias @ 2007-10-31 14:17

    Parabens pela ótima iniciativa de abrir mais uma porta para quem, como eu, luta pelo direito à legítima defesa. Não obstante todos os golpes desse governo insensato e totalitário, devemos continuar nessa luta. Aqui no meu estado esta cada vez mais dificil tirar o porte, tenho que renovar o meu e vou ter um trabalho danado, sem contar com a injusta taxa que estão cobrando.

  15. Nereu Rohden @ 2007-10-31 14:21

    Excelente !
    Nada neste mundo é melhor que a Liberdade, em todos os seus sentidos.
    Temos que nos contrapor à Ditadura disfarçada instalada no comando deste País e que a cada dia agrega mais e mais “Companheiros” para o Rol dos incapazes e desocupados do Poder !

  16. fabiano andrade leme @ 2007-10-31 16:17

    Parabéns para todos que acompanham e aplaudem mais uma iniciativa correta e justa, para nós que somos cidadão de bem, meus agradecimentos e faço voto para que continuem fazendo que nossas esperanças se realizem, pelo menos parte delas. Sou morador de uma fazenda em São João da Boa Vista, interior de São Paulo e só essa semana foram furtados 7 transformadores bem pertinho de nossas residencias, infelizmente quando saimos de casa ( quando ) não sabemos se ao voltar para casa as nossas coisas estarão lá, minha esperanças são pessoas assim como voces, que falam por todos nós, cidadão de bem. Obrigado e meus parabéns!!!

  17. Parabens, ótima iniciativa, mas assino em baixo de tudo o que disse o Nereu Rohden

  18. Os políticos votaram o famigerado “estatuto do desarmamento”,movidos pelo mensalão bem como pela
    certeza de serem inatingíveis,já que eles e seus
    familiares têm à sua disposição ,seguranças bem
    armados,carros blindados e ainda são protegidos
    pelo cargo (vejam o caso do Cunha Lima da Paraíba).
    Mas não perdem por esperar; com a escalada da
    violência e do desgoverno logo logo começarão
    sentir na pele o que plantaram.

  19. luiz mario @ 2007-11-01 07:01

    caros amigos, é bom saber que ainda tem algo “firme” nesse “mar de lama”. A velha politica é essa, sempre foi assim, e enquanto não houver educação para este povo, nada mudará! Os políticos de hoje representam o que passa na cabeça de muitos,(apenas vantagem pessoal)……..
    Devemos cada dia fazer nossa parte aos poucos, procurando sempre não fazer aos outros o que não gostaríamos que fizessem para nós.
    Parabéns a vces e continuem, pois assim estaremos caminhando rumo aos interesses honestos de cada um que nada mais é do que manter sua identidade, segurança e liberdade de opinião!

  20. mauricio gonçalves @ 2007-11-01 09:07

    Como advogado, acho inacreditável a forma como algumas leis são aprovadas neste país, como é o caso com o famigerado “estatuto do desarmamento” (dos cidadãos de bem, é claro). Éssa lei é inconstitucional desde a época em que ainda era projeto. E como tantas outras leis, criadas apenas para que os legisladores possam dizer que estão fazendo alguma coisa, não deu e certamente não dará resultados práticos. Mas como todos sabemos, essas leis não são feitas para resolver nada, mas sim para manter as vantagens de quem está no poder, no caso, os políticos e os criminosos, pois para esses tudo está sempre bem, afinal estão sempre acima da lei.
    Parabéns ao movimento PLD pela coragem.
    Mauricio

  21. Roberto Molina Cintra @ 2007-11-01 09:43

    Já faz algum tempo que não me faço comunicar nesta “comunidade”, isso para usar de um termo em voga pelos “politicamente corretos”. Fui, creio, bastante combativo durante a tramitação do “insano estatuto”. Discuti com a falecida Jussara, com alguns peralvilhos exaltados, etc, todavia, CANSEI. ESte país entrou em óbito como nação independente em 1990 com o famigerado Collor, daí para frente o que se viu foi uma produção em série de ações anti-patriotas, espoliação do patrimônio público, apologia do canalhismo e incentivo à covardia. Não existe mais o Brasil, ele foi extinto por dezessete anos de vilanias, de entreguismos sem conta. Hoje somos uma mera sombra do que, com muito esforço construímos nos anos 70 e 80. BRASIL PAÍS DE TODOS, ora ora, de todos aqueles que se locupletam da soberba ignorância de um povo sem raça, sem orgulho e sem vontade. A vontade é definida pela mídia televisiva em uma enchurrada de novelas, noticiários facciosos e vendidos. O povo brasileiro tornou-se pobre, pobre das piores formas de pobreza, a de espirito. BRASIL PAÍS PARA OS INDOLENTES, PARA OS CORRUPTOS INTEGRANTES DOS LEGISLATIVOS e para a caterva que acredita no lulismo. Desarmar, sim, torna tudo mais fácil. Invade-se Fazendas produtivas, o proprietário está proíbido de reagir contra os “desafortunados sem terra”. Mais para frente, fascínoras de toda espécie invadirão nossos lares, estamos proíbidos de reagir contra os eleitores do Lula. Nossas filhas são estupradas e não se pode fazer nada, somos roubados, mas a mídia diz- NÃO REAGA JAMAIS, você poderá machucar um petista.Vamos agora avacalhar com os colecionadores de armas, esses” grãfinos privilegiados que podem colecionar armas, vamos dizer que eles fornecem armas para o crime organizado. Há há há, somente um imbecil ou comprado pode lançar uma ideia dessa. Quanta ignorãncia !

    Será muito difícil, ou quase impossível que o Brasil saia da rota do cáos. Crescimento econômico sem honra, sem patriotismo, sem defesa da propriedade privada, do indivíduo e da honra, em nada beneficiará ao povo brasileiro, excetuando-se aquieles que já estão acostumados a ser escravos, viver de esmolas ou de falcatruas. Não desisti ainda, mas confesso que já estou cansado de tanta mentira e demagogia.

    Roberto de Molina Cintra

    Obs: Quero adquirir o livro sobre “quilombolismo”, encontra-se a venda aqui em Santos /SP

  22. leonardo araujo @ 2007-11-01 11:22

    Esse é mais um daqueles projetos de lei, que de nada servirá para a solução dos problemas relativos à violência, que atormenta a nossa sociedade.

  23. Miguel da Cruz Supico @ 2007-11-01 11:23

    Alguém sabe dizer em que pé está o projeto da besta do Neucimar contra os colecionadores? O Exército não vai se manifestar? Se ninguém se opuser, o projeto passa na surdina!!

    Abraço
    Miguel

  24. Ademilson @ 2007-11-01 11:55

    Parabens Diogo, o Brasil precisa de iniciativas como esta porque senão vamos regredir na história.
    Eles se preocupam com armas que estão nas mãos de pessoas que só querem se defender a sí e sua família.
    Pois precisa lebram a eles que quando o homem viviam nas cavernas não se pensava em armas e já existinham assassinatos entres eles.
    Por isso não são as armas de fogo as cupadas das mortes e sim o proprío homem.
    Sem mais,
    Um grande abraço a todos que defendem o direito de defesa.
    Tchau.

  25. Fernando Ranieri @ 2007-11-02 10:39

    Aí está uma ótima ferramenta para nós, as vítimas da insensatez de um governo perdido, que além de não poder garantir a segurança de seus governados, ainda tenta tirar o direito da auto defesa, mesmo tendo democraticamente perdido sua base no referendo por ele mesmo proposto.

    Que ninguém se engane, esta insistência no desarmamento tem um fundo muito mais amplo, que deve estar próximo da revelação. O principal eleito nem se preocupa mais com o terceiro mandato visto que deva estar pretendendo em lugar disto, um mandato vitalício, similar ao de seu comparsa de certa Ilha muito próxima de Miami. Se por lá fosse tudo tão bom, não sei porque tantos atletas e outros representantes daquele país vivem pedindo asilo em outros países. E por coincidência aqui mesmo no Rio 2007 foram sumariamente devolvidos para Cuba em uma operação relâmpago para não contrariar o ilustre ditador. É a isto que se intitula democracia? Cuidado, poderemos ser nós mesmos os próximos a pedir asilo por aí.

    Parabéns pelo blog, muito bom.

  26. Marcelo Pereira @ 2007-11-02 11:46

    Parabenizo o Roberto de Molina Cintra pelas colocações. Endosso-as integralmente.

  27. Helio Marques @ 2007-11-02 15:36

    Parabens pela iniciativa.
    Cada local de discussao , é uma ferramenta de trabalho para a nossa luta contra esta tirania do estado “democratico” brasileiro.
    Este blog pode se tornar o solo fertil para a discussao dos temas que poderao ,realinhar nosso pais ao seu verdadeiro objetivo , uma naçao justa com os que aqui vivem sob o manto das leis .
    Acho que é chegado o momento de se discuir um tema que devido a sua abrangencia , recorro ao título , bem aguerrido de “REARMA BRASIL”
    Nao é só´, o pequeno detalhe de permitir ao cidadao de bem o recurso inalienavel a arma de fogo para sua defesa , mas tambem e em maior dimensão a todos os recursos necessários a sobrevida de qualquer ser humano em comunidade.
    De uma lei que efetivamente aja rapidamente , puna exemplarmente e de um estado a serviço de seus cidadaos e nao o contrario , que ocorre atualmente no nosso Brasil
    Parbens a todos nós por este Blog

  28. Sergio Valente @ 2007-11-02 18:46

    Parabens pela iniciativa…Dizem que a esperança é a ultima que morre a de ter o meu porte de arma de volta ainda resiste… abraços!

  29. Claudoir Riepe @ 2007-11-05 07:19

    Parabéns pela iniciativa. É hora de mudar esse famigerado estatuto do desarmamento e permitir que o cidadão possa se defender. Só a polícia não basta. Os marginais estão cada vez mais atrevidos e covardes; torturam, estupram e matam por motivos fúteis ou que nem eles sabem.

  30. Parabéns por mais esta iniciativa. Agora nós só temos essas armas para lutar contra a incompetência dos políticos e competência dos bandidos. Só posso concluir que o loby dos bandidos é muito melhor que o nosso. Para finalizar, tenho de concordar com Cap. Nascimento, “Filme: Tropa de Elite”, “uns se corrompem, outros se omitem e outros vão para guerra.” Nós estamos na guerra desarmados.

  31. ricardo c almeida @ 2007-11-07 07:47

    Acredito que este “sonho de desarmamento’ , puxado pela turma das ideologias estranhas tem um viés operativo, pois busca deixar desarmado todo e qualquer cidadão de bem, para em futuro próximo inviabilizar uma eventual reação a projetos de continuidade, nem tão constitucionais assim, ora em andamento.
    A estratégia seria desarmar para imobilizar.
    Parabéns e rumo na direção do objetivo

  32. Parabéns pela iniciativa do Blog,ótimo meio de expressão.

    Si vis pacem, para bellum

  33. Almir Ferraz Filho @ 2007-11-09 18:35

    Parabens a todos da PLD por mais essa brilhante iniciativa.
    Almir

  34. MAJ Eduardo @ 2007-11-13 14:08

    Verdadeiramente este Blog vem ocupar um espaço vazio no contexto dos movimentos pró legitima defesa. Estou convencido que o conteúdo que aqui irá ser adicionado será objeto de referência para todos, desde os simpáticos a revisão do malsinado Estatuto como também para correntes contrárias e mesmo para auxiliar na definição de posicionamentos políticos futuros !

    Congratulações !

  35. rodolpho villas boas neto @ 2008-04-13 06:35

    TOMARA QUE UM DIA POR MILAGRE DE DEUS NESSE PAIS SÓ MILAGRE A PLD VENHA SER UMA ESPECIE DE NRA DENTRO DO PAIS QUE È O BRASIL

  36. rodolpho villas boas neto @ 2008-05-18 20:03

    EU ACHO QUE NÓS DEVIAMOS NOS ORGANIZAR EM VARIOS ASPÉCTOS VEJA AQUI NO BRASIL SÓ CONTAMOS COM UMA PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL VOLTADA PARA AS ARMAS ENQUANTO NOS EUA ALEM DAS VARIAS PUBLICAÇÕES MENSAIS DA NRA COMO AMERICA RIFLEMAN,SHOOTING ILUSTRUED,FREEDOM,SHOOTING ,GUNS AMMO,GUNS WEAPONS SHOOTNG NEWS,SOLDIER FORTUNE,GUNS, E ETÇ LA TEM VARIOS CANAIS A CABO OU ABERTO COM CONTEUDO VOLTADO AS ARMAS SE NÓS TIVÉSSEMOS A SORTE DE ENCONTRAR UMA PESSOA OBSTINADA EM PROMOVER O TIRO ESPORTIVO, TIRO DE CAÇA, COLECIONADORES DE ARMAS, SOBRE A FUNÇÃO DE ARMEIROS AQUELES QUE CONCERTAM LIMPAM ARMAS E ETÇ.. TIVESSEMOS UM COMERCIO DIVERSSIFICADOS DE MUNIÇÕES DE VARIOS CALIBRES E DE MODELOS MARCAS ALEM DA NOSSA NACIONAL CBC TIVESSEMOS UM MERCADO BÉLICO VASTO COMO NOS ESTADOS UNIDOS DA AMERICA SE TAMBEM ACABASSE TIVESSE FIM A FAMIGERADA RESTRIÇÃO DE CALIBRES MAIS PENSAR QUE AQUI NO BRASIL ISSO PODERIA ACONTECER ME PARECE UM SONHO QUE INFELIZMENTE NÃO SERA REALIZADO PELA BUROCRACIA MALDITA DESSES POLITICOS MISERAVEIS DO PT INCLUINDO ESSAS DESGRAÇADAS ONG,S QUE ENSINAM FAVELADOS A VIRAREM DELINQUENTES MARGINAIS E DEPOIS ASSALTAREM E MATAREM UM INOCENTE PARA DEPOIS ESTES RATOS POREM CULPA NAS ARMAS QUE NÃO TEM CULPA NENHUMA EU ME SINTO UM POBRE COITADO PÓR NÃO TER NASCIDO NOS EUA

  37. Luís Augusto Panadés @ 2008-06-18 03:56

    Parabenizo-vos por mais este canal…

    Gostaria que o PLD publicasse uma lista dos partidos políticos com os quais tentou contato e que firmaram compromisso em derrubar o estatuto do desarmamento.
    Porque disso? – Para nortear os colegas em quais partidos não devemos votar de forma alguma.

    Tenho nojo da canalha vermelha que governa o país… PT e PSDB, farinha do mesmo saco. Falam em democracia mas só sabem subir imposto e suprimir liberdades.

    PLD precisa ter contato com partidos políticos, que tal o PP do Bolsonaro(RJ) – é o único cara que defende os direitos dos brasileiros.

    Esta na hora do direito do cidadão entrar na pauta política. Com os 65% que votaram no não eu acho que vai ser um contingente eleitoral significativo.

    Penso que todo mundo que votou pelo não deve ter a consciência de que foi estuprado na sua vontade e que o governo perdeu, mas levou no tapetão. Penso que quem tenha votado não entenda que essa gente que hoje lá esta haje dessa forma, violentando sem pudor a vontade soberana do povo, logo não votem nos desarmamentistas idiotas, PT, PSDB, PSOL, PCB,PCdoB, PPS e cia ltda.

    E mais, lembremos que o ESTATUTO DO DESARMAMENTO foi aprovado em plena época de mensalão.

    Lembremos que o Brasil já é um dos países mais desarmados do mundo, antes mesmo do estatuto e uma lei com esse nome é no mínimo uma afronta ao brasileiro de bem que sente que precisa do dereito mínimo de defesa da vida de sua família. Defesa com meios efetivos…

    Bom… sugestões feitas, no aguardo de uma resposta do PLD, quero ve-la no site, bem visível, numa sessão fixa…. vamos dar dor de cabeça já nas eleições municipais para esses canalhas vermelhos.

  38. Imagine um mundo sem armas
    Por David Kopel, Paul Gallant e Joanne Eisen, do Independence Institute

    Translation by Vitor R. Carvalho e Sarah Jameson Carvalho

    [Esta é uma tradução editada a partir de um artigo de Dave Kopel, Paul Gallant e Joanne Eisen, que foi originalmente publicado no "National Review Online" em 5 de dezembro de 2001. Kopel, Gallant e Eisen são também os autores de "Despedida da Jamaica: As consequências da proibição de armas". Traduções para português de todos os artigos de Kopel sobre armas de fogo e outros tópicos podem ser encontrados na home page de Kopel, selecionando a bandeira de Portugal na coluna a direita.]

    “Imagine um mundo sem armas” era um dos adesivos mais comuns em automóveis logo apos a morte do ex-Beatle John Lennon, em dezembro de 1980.

    Que tal então tentarmos imaginar como um mundo sem armas seria? Não parece ser uma tarefa tão difícil. Mas se prepare: este mundo não será nada belo.

    De acordo com grupos pró-desarmamento, o caminho para se ter um mundo sem armas é através de leis. Para começar, podemos imaginar a aprovação de leis banindo o acesso e a posse de armas de fogo ao cidadão comum. Podemos então imaginar uma proibição nacional, ou até mundial.

    Vale a pena lembrar que heroína e cocaína sao ilegais nos Estados Unidos, e na maior parte do mundo, há aproximadamente um século. Imensas quantidades de recursos têm sido gastos no combate a produção, venda e uso de tais drogas, e muitas pessoas inocentes ja foram sacrificadas na guerra do tráfico de drogas. Mesmo assim, heroína e cocaína são drogas facilmente encontradas nas ruas de quase todas grandes cidades americanas, e a preços mais baixos do que os praticados em décadas anteriores.

    As leis afetam principalmente os que querem obedecê-las. E geralmente, onde há a necessidade por um produto e um mercado a ser explorado, há também uma maneira de burlar a lei. Surge então o mercado negro, cuja forca aumenta bastante com o aumento de restrições e proibições.

    Talvez a proibição total de armas por força de lei não seja suficiente. Talvez impor as mais duras penas pela violação de tal lei é que vai fazê-la efetiva: prisão perpétua por posse de arma, ou até mesmo pela posse de uma única bala.

    Por outro lado, a Jamaica aplicou o “Gun Court Act” em 1974, que previa tais duras penas, e mesmo assim não foi suficiente. Em 18 de agosto de 2001, o jamaicano Melville Cooke observou que hoje em dia, “as únicas pessoas que não têm uma arma ilegal (em seu país) são aquelas que não querem ter uma”. As estatísticas de crimes violentos na Jamaica estão piores do que nunca: gangsters e policiais violentos cometem homicídios e ficam sem punição, e apenas os que querem estão desarmados.

    Assim mesmo, o governo da Jamaica tem planos de globalizar sua fracassada política de desarmamento. Em julho de 2001, Burchell Whiteman, Ministro da Educação, Juventude e Cultura da Jamaica proferiu uma palestra na Conferência de Desarmamento da ONU onde pediu encarecidamente a “implementação de medidas que limitariam a produção de armas a níveis de garantir as necessidades de defesa e a segurança nacional”

    Enquanto governos precisarem de armas, haverá sempre fábricas de armas de onde elas poderão ser roubadas. Algumas dessas fábricas podem até mesmo ter medidas de segurança adequadas, inclusive contra roubo cometido por empregados. Mas em um mundo com aproximadamente 200 nações, a maioria governada por cleptocracias, é muito difícil acreditar que tais fábricas de armamentos (de produção exclusivamente governamental) não se tornarão fornecedoras pro mercado negro. No mesmo raciocínio, policiais ou militares corruptos podem facilmente suprir o mercado negro com armas de fogo.

    Émelhor reavaliar nossa estratégia. Ao invés de usar a força da lei (que não conseguiu criar um mundo livre de armas nem em nossa imaginação), vamos tentar ser mais ambiciosos e imaginar que todas as armas pudessem simplesmente desaparecer. Até mesmo as de posse do governo. E que pudéssemos fechar todas as fábricas de armas também. Pronto, isso deve com certeza acabar com o mercano negro.

    Voilà! Paz imediata!

    Voltando a usar as asas da imaginacao.

    Bem…não é muito difícil de fazer uma arma de fogo operante. Como J. David Truby relata em seu livro “Zips, Pipes and Pens: Arsenal of Improvised Weapons”: “Hoje em dia, o projeto improvisado/modificado de uma arma de fogo está dentro do alcance de cidadãos (com nenhum conhecimento técnico) que não tiveram acesso a armas por nenhum outro meio”.

    No artigo “Gun-Making as a Cottage Industry”, Charles Chandler observa que americanos “tem uma reputação de serem dedicados a hobbies e adeptos do faça-você-mesmo, construindo de tudo: de modelos de barco até grandes melhorias em suas casas”. Uma área que não tem sido muito ativa é a de construção de armas. E isto, Chadler explicou, é somente porque “armas de bom design e bem-feitas são geralmente disponíveis como artigos do comércio.”

    Uma proibição completa das armas, ou um licenciamento altamente restritivo, criariam um incentivo real para que a produção de armas se transformasse numa industria caseira.

    Já está acontecendo na Grã-Bretanha, como uma conseqüência da proibição completa na posse civil de armas imposta pelo “Firearms Act” de 1997. Os Ingleses são oprimidos não somente com as armas ilegais importadas, mas também com as locais: de fábricas temporárias de armas que foram incentivadas a competir com o produto importado.

    A polícia britânica já está ciente de algumas delas. Oficiais da Scotland Yard (Policia Metropolitana de Crimes Sérios – Grupo Sul) recuperou recentemente 12 réplicas de armas que foram convertidas em armas reais. Uma auto loja de reparo de automóveis em Londres serviu de faxada para uma fábrica ilegal das armas. A polícia encontrou inclusive alguns empregados transformando chaves de fenda em armas de fogo, e produzindo armas disfarçadas nos mais diversos formatos.

    Simplificando, fechar a fábrica de Winchester, e todos as outras, não significa o fim do negócio das armas.

    Veja o exemplo de Bougainville, a maior ilha nas Ilhas Solomon no Pacífico Sul. Bougainville foi o local de uma guerra de secessão sangrenta, que durou uma década, do secessionistas contra a dominação do governo de Papua Nova Guiné, ajudado pelo governo de Australia. O conflito foi o confronto mais longo no Pacífico desde o fim da segunda guerra mundial, e causou a morte de 15.000 a 20.000 habitantes.

    Durante as hostilidades, que incluíram um embargo militar à ilha, um dos objetivos era deprivar o Exército Revolucionário de Bougainville (BRA, em inglês) de sua fonte das armas. A tática falhou: o BRA simplesmente aprendeu como fazer suas próprias armas usando o material e da munição que sobraram da guerra.

    De fato, na Conferência Regional das Nações Unidas de Desarmamento do Pacífico Asiático, na primavera de 2001, admitiu-se sem muito alarde que o BRA, em dez anos desde sua formação, havia conseguido manufaturar uma cópia do rifle M16 automático e de outros armas de fogo. (É interessante considerar a real intenção por trás da Conferência da ONU Sobre o Comércio Ilícito de Armas de Pequeno Porte e Armas Leves em Todos Seus Aspectos, que aconteceu muitos meses depois: a liderança da ONU não pode ser tão estúpida a ponto de não reconhecer as implicações do desarmamento do mundo após a testemunhar o sucesso do exército revolucionário de Bougainville.)

    Se esta única ilha de Bougainville pode produzir suas próprias armas, as Ilhas Filipinas têm tido por muito tempo uma próspera indústria caseira de armas, apesar das leis muito restritivas às armas impostas pela ditadura de Marcos e por alguns outros regimes.

    Parece que precisaremos revisitar nossa fantasia, mais uma vez.

    OK. Pela proclamação de Kopel, Gallant e Eisen, imaginemos não somente todas as armas desaparecem imediatamente, mas também não haverá nenhuma fabricação adicional de armas.

    Essa última parte é um pouco complicada. As auto lojas de reparo de automóveis, hobbyists, revolucionários, qualquer um deles com habilidades razoáveis podem produzir uma arma a partir de algo. Isto nos leva à mesma estrada da proibição de drogas: como as leis preliminares anti-droga provaram ser impossíveis de cumprimento, leis secundárias foram criadas para proibir a posse de itens que pudessem ser usados para manufaturar drogas. Até mesmo fazer compras de materiais suspeitos em uma loja de jardinagem pode fazer um cidadão ser listado pela polícia local.

    Porém, há tantas ferramentas que podem ser usadas na fabricação de armas que uma lei proibindo a posse de todos estes itens seria com certeza mais complicada de produzir que as leis proibindo a posse de itens usados na fabricação de drogas. Isto implicaria na necessidade do registro da maioria das ferramentas, assim como o um registro nacional de encanadores, mecânicos de automóveis, e todas as profissões similares. Também precisaríamos de um selo com um numero serial em todos os encanamentos (armas em potencial) em todos os banheiros e automóveis.

    Portanto, teríamos de controlar todas as etapas do processo de fabricação de armas. Isto seria um processo muito caro e complicado de executar. Se tal política não conseguisse controlar uma taxa de 1% da producão de armas, isto seria suficiente para alimentar o mercado negro de armamentos.

    Para garantir total conformidade com o controle de todas as etapas do processo de fabricação de armas, seria necessário deixar grande parte das proteções constitucionais para trás. É dificil de aceitar certos tipos de lei de busca e apreensão necessários a garantir que certas pessoas nao tenham posse de encanamentos ou chaves de fenda nao devidamente registrados.

    Por exemplo, somente para banir as armas (apenas as armas, nada relativo ao porte ou posse de armas), o governo da Jamaica precisou apagar muitas leis comuns relativas a buscas e apreensão policiais, e muitas outras garantias legítimas de réus e cidadãos. Se quisessemos evitar completamente o mercado negro de armas, teríamos de jogar a constituição no lixo. E mesmo assim, como afirmam os defensores da proibição de porte de armas, se uma única vida fosse poupada, isto já valeria a pena.

    Mas e se, apesar de todas as estas medidas extremas, o mercado negro ainda funcionasse (como geralmente acontece) quando houvesse demanda suficiente?

    É hora de repensar seriamente nossa estratégia de alcançar um mundo sem armas. Talvez haja uma maneira mais fácil de conseguir o que queremos.

    OK. Nós vamos fazer uma proposta realmente radical desta vez. Como um salto quântico em física, iremos a um lugar onde nenhum homem jamais esteve. Pode até ser que alguns façam piada de nossa proposta, mas ela pode realmente funcionar exatamente onde todas as outras estratégias falharam.

    Nós, Kopel, Gallant e Eisen, imaginamos então que de hoje em diante, as leis de combustão química sejam revogadas. Podemos então imaginar que pólvora e todos os compostos similares não mais têm a capacidade de queimar e liberar os gases necessários a propulsão de uma bala.

    Paz no nosso tempo.

    Finalmente, pela primeira vez, um mundo sem armas esta realmente ao nosso alcance e é tempo de ver o que o homem realmente é. E para isso, todos temos de olhar para o tipo de mundo onde nossos ancestrais viveram.

    Dizer que o mundo no mundo pré-pólvora era violento não é suficiente. Longas viagens por terra eram susceptíveis a roubos, assassinatos e outros crimes. A maioria das mulheres não podiam se proteger contra estupros, a não ser garantindo total acesso físico a um macho em troca de proteção contra os outros homens.

    Nesta época, armas dependiam de força muscular. Avanços em tecnologia de armas serviam para amplificar o efeito da força muscular. Quanto mais forte alguém é, melhores são as chances de lutar a curta distância com uma arma afiada como uma espada ou faca, ou a longa distância com armas de arremesso(que também requeriam muita força muscular). O enorme potencial de tais armas antiquadas em promover carnificina de inocentes foi graficamente demonstrada pela morte por esfaqueamento de oito alunos de segunda série em 8 de junho de 2001, em Osaka, Japão, executadas por Mamoru Takuma, um ex-funcionário da escola.

    Quando a questão é força muscular, homens jovens geralmente tem vantagens sobre mulheres, crianças e velhos. Eram guerreiros que dominavam a sociedade na Europa feudal sem armas, e um homem sem força muscular geralmente tinha de se resignar a ter uma vida de obediencia e serventia em troca de segurança.

    E as mulheres: De acordo com os costumes “jus primae noctis”, um senhor tinha o direito de dormir com a noiva do recém-casado servo na sua primeira noite de casado, como preço necessário a ser pago pelos serviços de segurança e demais garantias. Não era raro este arranjo não acabar na noite de núpcias, já que o senhor tinha na prática o poder de ter qualquer mulher, a qualquer momento.

    Mesmo se o “jus primae noctis” não fosse de fato seguido em uma certa região, os homens ricos e fortes tinham muito pouco limites, fora suas consciências, no que diz respeito a possuir uma mulher que não fosse protegida por outro homem forte e rico.

    Mas há um outro problema em imaginar o mundo sem pólvora: nós nos livramos de armas de fogo, mas nao de armas em geral. Com o advento de armas de sopro há 40000 anos, o homem descobriu a eficácia de um tubo para concentrar ar e mirar um alvo, tornando inevitável o aparecimento de armas de ar comprimido.

    Outras armas sem pólvora apareceram também. O século 20 foi o século mais sangrento na história da humanidade. Enquanto armas de fogo foram usadas para matar, elas não foram fundamentais. O maior número de mortes deliberadas correram durante genocídios e democídios perpetrados por governos contra populacões desarmadas. Os instrumentos de morte variaram bastante, indo de gases letais até fome.

    Imagine um mundo sem garras.

    Imaginar um mundo sem armas é imaginar um mundo dominado por homens, em que as minorias são facilmente exploradas ou assassinadas em massa pelas maiorias.

    Em termos práticos, uma arma de fogo é simplesmente uma arma que permite a uma pessoa mais fraca se defender a distância contra um grupo mais numeroso e mais forte de agressores. Como George Orwell observou, uma arma como um rifle “dá garras aos mais fracos”.

    O problema na imaginação dos que anseiam por um mundo sem armas reside em sua suposição ingênua de que se livrando das garras, nos livraremos do desejo de dominar e matar. Eles não reconhecem o fato inegável de que quando os mais fracos não têm acesso a garras (ou armas), os mais fortes terão acesso a outras armas, incluindo força muscular. Um mundo sem armas seria muito mais perigoso para mulheres, e muito mais seguro para brutos e tiranos.

    A sociedade na história que abandonou as armas com sucesso foi o Japão no século 17, como detalha o livro de Noel Perrin “Giving up the Gun: Japan’s Reversion to the Sword 1543-1879”. Uma ilha isolada com um ditadura totalitária, o Japão foi capaz de se livrar das armas. O historiador Stephan Turnbull resume as consequencias:

    As ordens do [ditador] Hidéyoshi foram executadas com exatidão. A crescente mobilidade social dos camponeses foi subitamente revertida. Os Ikki, os monges-guerreiros, se tornaram figuras do passado… Hidéyoshi forçou os camponeses a abandonares suas armas. Iéyasu [o regente seguinte] então começou a deprivá-los de seus respeito próprio. Se um camponês ofendesse um samurai, ele poderia ser executado imediatamente pela espada do samurai. [The Samurai: A Military History (New York: Macmillan, 1977).]

    O status social inferior dos camponeses foi assegurado pelo desarmamento civil, os Samurais gostavam de kiri-sute gomen, a permissão para matar e partir. Qualquer membro das classes inferiores que agisse sem o devido respeito poderia ser executado pelo samurai.

    As leis de desarmamento japonesas forjaram a cultura de submissão às autoridades, que por sua vez facilitaram o domínio de uma ditadura militar imperialista na decada de 1930, que levou a nação a uma desastrosa guerra mundial.

    Resumidamente, o único país que criou uma sociedade verdadeiramente sem armas criou uma sociedade de dura opressão de classes, em que os homens fortes da classe mais alta poderiam matar integrantes das classes mais baixa com total impunidade. Quando um governo racista, imperialista e militarista tomou o poder, não havia nenhum meio de resistência eficiênte. A sociedade sem armas do Japão se tornou exatamente o oposto da utopia igualitária da canção Imagine de John Lennon.

    Ao invés de imaginar o mundo sem uma específica tecnologia, que tal imaginarmos o mundo em que as pessoas crescerão mais gentis, e viverão uns com os outros decentemente? Este sonho é parte da visão de mundo de muitas das grandes religiões. Apesar de termos um longo caminho a ser trilhado, não há dúvidas que centenas de milhões de vidas têm mudado para melhor porque as pessoas acreditam no que tais religiões ensinam.

    Se um mundo verdadeiramente pacífico for possível – ou mesmo que impossível, ainda válido de se lutar por – não há nada a ser ganho com a tentativa fútil de se eliminar todas as armas. Um resultado bem mais valioso pode fluir da mudança nos corações humanos, um alma de cada vez.

Add your comment now


nove × 2 =