[img:DSC00636blog.JPG,thumb,alinhar_esq_caixa]Tivemos, nesta semana, importante entrevista com Dr Clifford Bob, (PHD –MIT, J.D. NYU, BA pela Harvard University), professor e cientista político da Duquesne University, de Pittsburgh – USA, que está coletando dados para escrever um livro sobre a questão do desarmamento no Brasil, e o referendo de 2005.

    Apesar de relativamente bem informado sobre nossa vitoriosa campanha, no referendo de 2005, as origens da coalizão Pela Legítima Defesa, as organizações que nela atuaram mostrou-se particularmente interessado em saber se recebemos o patrocínio de instituições internacionais, como a NRA, por exemplo e como foi possível conseguir o sucesso.

    Quando soube que nossa atuação é pelo idealismo de milhares [img:DSC00622blog2.jpg,thumb,alinhar_dir_caixa]de brasileiros que teimam em defender os direitos à legítima defesa e o direito dos homens honestos de ter e portar armas de defesa e que para isso não recebemos patrocínio do exterior, e que vivemos única e exclusivamente de doações generosas de participantes de nossas campanhas, ficou deveras impressionado.

    Explicamos-lhe que logo no início de nossa coalizão, convidamos dois americanos para falar-nos de suas experiências e indicar-nos como e o que fazer para defender nosso direito à legítima defesa tão ameaçado por projetos de leis que visavam suprimi-lo: Mr. Morton C. Blackwell, do Leadership Institute, e Mr. Charles Cunningham, Diretor de Assuntos Federais do Instituto para Ação Legislativa da Associação Nacional do Rifle (ILA-NRA).

    Tivemos essa assessoria intelectual e, evidentemente, o exemplo de várias organizações norte-americanas que lutaram e lutam em defesa desses mesmos direitos. Todavia, apoio financeiro, nenhum.
    Perguntou-nos qual a fundamentação de nossa luta e se temos no Brasil, algo parecido com a segunda Emenda Constitucional norte-americana que garante o “direito de ter e portar armas de defesa” (the right to keep and bear arms).

    [img:PaesdeLira.JPG,thumb,alinhar_esq_caixa]O Coronel Paes de Lira, nosso porta-voz, foi também nosso intérprete, dado a facilidade com que ele domina o idioma inglês, explicou-lhe que a fundamentação está no Direito Natural, no 5º Constitucional e no código de direito penal que nos garante o direito à vida e à legítima defesa. Evidentemente, há também a fundamentação na doutrina católica, entretanto, nossa campanha não é voltada exclusivamente para o público católico.

    Entretanto, o ponto fundamental e no qual ele mais insistiu, foi como no Brasil com poucos recursos financeiros, se conseguiu a espetacular vitória durante o Referendo, no qual 65% dos brasileiros disseram “NÃO!” à proibição do comércio de armas e munições.

    Foi lhe mostrado que, quando constituiu-se a Frente Parlamentar [img:P1010021Ash.jpg,thumb,alinhar_dir_caixa]pelo Direito à Legítima Defesa, em 2005, que defendia o “NÃO”, o trabalho de mobilização de opinião pública começado há pelo menos 4 anos, constituiu importante fator na vitória do Referendo. Sempre atuando em consonância com a Frente, insistimos que o foco principal de nossa argumentação estava em que o brasileiro não deveria renunciar a mais esse direito.

    Isto sensibilizou muito a população de norte a sul do Brasil de tal sorte que no referendo a vitória foi total e esmagadora. Apesar de todo o apelo sentimental de nossos opositores, que insistiam em mostrar pessoas chorando a morte de um ente querido, apesar do comprometimento quase que total da imprensa escrita, falada e eletrônica a favor do “SIM!” em todos os estados e praticamente em todos os municípios o “NÃO!” prevaleceu.

    Além do Coronel Paes de Lira estiveram representando a ,[img:P1010035blog2.jpg,thumb,alinhar_dir_caixa]Federação do Tiro Prático e o RAM Clube o José Luis de Sanctis; o prof. Bene Barbosa, representando o Movimento Viva Brasil, o Caio Alfaya falando pelo Safari Club Internacional – Brasil, e eu representando a Pela Legítima Defesa.[img:P1010031blog2.jpg,thumb,alinhar_esq_caixa]

    Muito impressionado com o que viu e ouviu, o Dr Clifford Bob agradeceu muito as informações e prometeu para os fins de 2008 ou começo de 2009 a publicação do seu livro.

    Dr Clifford Bob, muito obrigado pela oportunidade que nos foi dada de, mais uma vez, apresentarmos a verdade dos fatos..

Atenciosamente
Diogo Waki
Coordenador Paulista da PLD

Trackback

3 comments untill now

  1. Claudoir Riepe @ 2007-11-11 15:17

    Muito oportuna a visita do Dr. Clifford Bob.
    É importante o contato com pessoas que tragam idéias que nos ajudem a mudar a forma de pensar de nossos governantes, que têm criado leis que facilitam a vida dos marginais e corruptos.
    É preciso mudar a idéia do “jamais reaja e colabore sempre colabore com o bandido” imposta pela mídia.
    Essa campanha é de todos nós, cidadãos de bem, e aqueles que puderem nos ajudar são bem-vindos.

  2. [...] 2 – Dia 10 – Especialista norte americano vem ao Brasil para saber como conseguimos a vitória no referendo de 2005. Clique aqui. [...]

  3. AINDA BEM QUE NÃO FOI ASSALTADO, NÃO MORREU NAS MÃOS DOS BANDIDOS…NÃO TOPOU COM UM DELES..

Add your comment now


× 8 = oito