Em entrevista à TV Estadão, Conte Lopes defende o porte de armas e fala sobre o combate aos criminosos, enfrentando as alfinetadas dos entrevistadores que parecem que acham que o bandido tem mais direitos que o cidadão honesto.

Outros militares da reserva da PM Paulista também foram eleitos, como o Cel. Telhada e o Cel. Camilo.

Infelizmente não conseguimos eleger o Cel. Paes de Lira, que sempre defendeu o direito à propriedade e ao porte de armas para legítima defesa bem como os direitos do CACs (colecionadores, atiradores e caçadores), que certamente poderia ajudar muito nesse sentido, dada sua vasta experiência.

Assistam as entrevistas em:

http://tv.estadao.com.br/videos,VEREADOR-DIZ-QUE-ANDA-ARMADO-ATE-NA-PRAIA,185112,260,0.htm

Também critica o “kit gay” elaborado pelo ex-ministro da Educação, Fernando Haddad e fala sobre segurança.

http://tv.estadao.com.br/videos,SER-GAY-NAO-E-BOM-PARA-NINGUEM-DIZ-CONTE-LOPES,185114,260,0.htm

José Luiz de Sanctis

Coord. Nacional

, , ,
Trackback

only 1 comment untill now

  1. SERGIO C. B. MONTEIRO @ 2012-11-19 11:19

    Infelizmente depois que veio a campanha pelo desarmamento a bandidagem cresceu em proporções geométricas. Matam-se gentes a torto e direito sem o mínimo motivo plausível. Tenho notícias escabrosas que mataram pais de família porque não tinham R$ 20,00 no bolso na ocasião em foram assaltados. Na minha opinião o Estado é o maior culpado porque tem medo de tomar uma decisão que contrarie certas opiniões poderosas que os contrarie. Que opiniões são essas? Será que são opiniões de cabeças inteligentes que se encontram nas cadeias ou foragidas da justiça? Será que são influenciados pela Máfia do Crime Organizado do Brasil. Quem está por detrás de tudo isso? Nos EEUU não tem lero, se o cidadão ver sua propriedade invadida por estranhos,cujas intenções sejam suspeitas, este cidadão pode defender sua propriedade com a força policial e na ausência desta com seus recursos naturais, que podem ser inclusive as armas. Aqui no Brasil, quem mata em legítima defesa sofre um processo incrível que deixa o cidadão depenado, sem recursos, e com traumas horrorosos que o Sistema de Saúde jamais vai lhe dar assistência, quanto menos lhe recuperar. É preciso ser muito forte para agüentar uma Lei horrorosa como esta do Brasil.

Add your comment now


4 + quatro =