Contra fatos não valem os argumentos. O editorial do Washington Times, de 21 de janeiro de 2010, demonstra como, em Washington (DC), bastou que fosse autorizado o uso de armas que, entre 2008 e 2009, o índice de “assassinatos no Distrito caíu espantosamente 25%, passando de 186 para 140” contrariamente ao que alegavam os desarmamentistas.


Dentro em breve, a Suprema Corte de Chicago, deverá decidir também sobre se continua ou não a proibição do uso de armas que, segundo o mesmo editorial, quando foi proibido o uso de armas naquela cidade, em 1982, o índice de assassinatos cresceu na mesma proporção de outras cidades do mesmo porte que também proibiram o uso de armas.


O editorial conclui que o fenômeno do crescimento do índice de crimes depois de aprovado a proibição de armas não se limita aos Estados Unidos. Sempre que um país aprova o desarmamento o índice de crimes aumenta.


Fizemos uma tradução livre do referido editorial, mas no link abaixo, aqueles que preferirem poderão ler o texto no original em inglês.

Diogo Waki

Coordenador Paulista da PLD

Armas diminuem taxas de homicídio

21 de janeiro de 2010

THE WASHINGTON TIMES

http://www.washingtontimes.com/news/2010/jan/21/guns-decrease-murder-rates/

Mais armas legais em mãos de homens honestos significa menos crime. O Distrito de Colúmbia é prova disso.

Lendo os números na maioria da imprensa, alguém poderia ser levado a pensar que seria o Armagedon, depois que a Suprema Corte, em 2008, derrubou a proibição ao porte de armas no DC. Os prognósticos eram os mais diversos de que autorizando a mais cidadãos a ter armas e não obrigando-os a mantê-las travadas, iriam ameaçar a segurança pública. De acordo com o Major do DC, Adrian Fenty, mais armas em casa iria aumentar os crimes violentos.

Mas isso nunca aconteceu. Há três décadas os políticos locais apoiavam a proibição de armas curtas na esperança de fazer de Washington um lugar seguro reduzindo drasticamente o índice de crimes. Eles estavam equivocados e agora também.

Prova disto é a queda do número de assassinatos desde que caiu a proibição do uso de revólveres e bloqueadores. Entre 2008 e 2009, as prévias dos números da FBI indicam que os assassinatos caíram cerca de 10% e cerca de 8% nas cidades entre 500.000 a 999.999 habitantes. A população de Washington é de aproximadamente 590.000 habitantes. Durante este mesmo período de tempo, assassinatos no Distrito caíram espantosamente 25%, passando de 186 para 140. A cidade somente liberou recentemente o uso de armas de defesa no ano de 2008.

Poucos dos que viveram em Washington na década de 70 podem esquecer o aumento de crimes que começou logo após a proibição do uso de armas. Nos cinco anos anteriores à proibição de 1977, o índice de assassinatos havia caído de 37 para 27 assassinatos por 100.000 pessoas. Nos cinco anos posteriores à proibição de armas teve seu efeito imediato, o índice de assassinatos voltou a crescer para 35. Um fato que é difícil de se ignorar:o índice de crimes flutuou depois de 1976 mas somente uma vez caiu ao que era em 1976, antes da proibição. Esta aberração vai repetir alguns anos mais tarde em 1985.

Esta correlação entre a proibição de armas no D.C. e a queda da segurança não foi mera coincidência. Veja o caso de Chicago, a “Windy City” americana. Imediatamente depois de Chicago ter proibido o uso de armas em 1982, o índice de assassinatos, que estava decaindo continuamente durante uma década,voltou a crescer. O índice de criminalidade em Chicago atingiu o equivalente a outras cidades do mesmo porte. O fenômeno do crescimento do índice de crimes depois de aprovado a proibição de armas não se limita aos Estados Unidos. Sempre que um país aprova o desarmamento o índice de crimes aumenta.

A escolha que os Americanos estão enfrentando não é entre a liberdade ou segurança. A experiência de Washington com a proibição de armas mostra mais uma vez que os americanos serão ou livres e seguros, ou não livres e inseguros. Deixar as pessoas protegerem-se é uma abordagem responsável. É importante para a Suprema Corte lembrar estes fatos, em março, quando ela deverá decidir sobre a proibição de armas em Chicago.

,
Trackback

19 comments untill now

  1. Plinio de Marco C. Jr. @ 2010-02-10 12:09

    A Suprema Corte dos EUA respeita o cidadão,luta
    pelo direito assegurado pela Constituição,preza pelo bem estar da sociedade, enfim , garante o direito sagrado á defesa da vida.
    IGUALZINHO AQUI NO BRASILZINHO,REPUBLIQUETINHA
    DE ESQUERDINHA!

  2. Grande matéria! Seria uma paraíso se todos pudessemos nos defender.

    Enquanto a polícia e os bandidos tiverem o monopólio da violência, a corda vai arrebentar sempre no lado mais fraco, O NOSSO!

  3. Renato Cordiolli Romie @ 2010-02-11 11:33

    Caros amigos;
    Continuem na Luta esclarecendo nossa população.Temos que imitar os paises de primeiro mundo.Temos que dar um basta a essa baderna.Estou a disposição de voces,podem contar com meu apoio,Se tiverem algum material de propaganda terei o maior gosto em o divulgar.Um abraço!Cordiolli

  4. Peter Hof @ 2010-02-11 13:16

    Massad Ayoub, americaníssimo apesar do nome, e considerado uma das maiores autoridades mundiais em defesa armada do cidadão e reorganização policial (foi o reestruturador da Illinois State Police) escreveu em seu livro intitulado In the gravest extreme:

    O governo que não pode propteger o público não pode privá-lo do direito de proteger-se a sí próprio.

    Mais ou menos como acontece por aqui…

  5. VILAS BOAS @ 2010-02-11 22:08

    Povo desarmado é um povo fácil de dominar. Lobos sempre comem as ovelhas. Um povo sem arma não passa de um bando de ovelhas covardes!!!
    Brasil, segue o exemplo!!!

  6. Nos sabemos que mais cidadãos armados significa menos crimes. Nos sabemos, a maioria do povo sabe e os governantes do ” nosso pais ” com certeza tambem o sabem; afinal se tem uma coisa que eles não são é idiotas. Acontece que, o que os motivam a nos desarmar é algo bem pior, é sinistro. Eles não estão preocupados com quantos cidadãos perderão a vida para os marginais, o importante é seu objetivo.Alias alguns cidadãos a mais ou a menos, que diferença faz? Sempre terá uma bolsa qualquer coisa para incentivar o nascimento de mais gente com maior facilidade de maneabilidade.

  7. A simples preocução de um meliante de se confrontar com quem enfrentá-lo em igualdade ,força Xforça,armaXarma, fara refletir se vale ou não o risco.
    No Brasil ao desarmar os cidadões honestos , que possuindo armas conscientemente e sabendo manusea- la de forma correta, indicou aos deliquente de todos os niveis, que a população é “UM BANDO DE CARNEIRINHOS A ESPERA DELES TOSQUIAREM OU MATAREM”
    Esta foi uma medida mais burra (se tentou ser honesta) que ja ví.
    cicero

  8. infelizmente naõ sabemos porque ,parere que o crime eo conbustivel da maquina judiciaria avendo mais crimes precisa de mais advogados mais delegados mais juizez assim por diante eo cidadaõ naõ pde se defender como deve ser de iqual para iqual o bandido leva sempre vantagem ele pode andar armado ninque quer saber a origen de sua arma se ele matar um homen honesto e for prezo ainda eu e voce vamos sustentar ele comendo bebendo nas custas de nossos impostos. tem hora que naõ da nem para acreditar que acetamos isso numa boa

  9. Pouco tenho a dizer os colegas ja disseram quase tudo, o bandido vai ficar a vontade neste carnaval, quando em viajem houver congestionamento, la estara o arrastão onde o bandido vai tão seguro porque sabe que aquele cidadão do bem que esta com sua familia preso no transito dificilmente tem uma arma, a menos que lamentavelmente ele se depare com um policial que esta viajando, (o que é dificil pois o efetivo esta todo trabalhando por conta do carnaval).
    OBS:- Efeito desse governo anterior comunista que é endossado pelo atual. DESARMAMENTO DO CIDADÃO, LIBERDADE DO BANDIDO. Policial aposentado tem que fazer psicotecnico para renovar porte. Brasil il..il…il….

  10. Cilas Celestino @ 2010-02-13 08:46

    O pior de tudo isso é que não existe a menor esperança de que a situação mude no Brasil, talvez mude, mas, para pior; O DFPC ( Departamento de Fiscalização de Produtos controlados) orgão do exército relacionado a atividades de atiradores, e colecionadores de armas entre outras atividades afins, diminuiu a validade dos CRs.(certificados de Registro ( documento que habilita o atirador ou colecionador, adquirir armas de calibre restrito, munições e insumos para recarga ) de 3 para 1 ano, além de aumentar a burocracia e as exigências para tal. Logo após o resultado do referendo, que acreditava-se ser um salvo-conduto que nos garantísse o direito à legítima defesa, O ministro da Justiça, Tarso Genro, publicou portaria limitando em 50 cartuchos anuais por calibre a aquisição legal de munição; a portaria estabelece ainda que quem possua uma quantidade de munição acima desse limite entregue-a imediatamente à polícia federal. Em breve, a Sra. Dilma Roussef irá ser a futura sucessora de Luiz Inácio Lula da Silva, e, oque era ruim, se tornará pior. Dilma se tornará o futuro presidente do Brasil porque é indicada por seu atual cabo eleitoral, o presidente Lula, que continua com índices altíssimos de aprovação popular, graças a algumas migalhas distribuídas ao povo chamadas por ele de PAC e de mentiras divulgadas de que a inflação baixou, de que todos estão empregados e de que, após o Estatuto do Desarmamento e suas campanhas, a violência diminui 12% e de que esta famigerada lei é uma “Conquista do povo Brasileiro para um país mais seguro e com menos violência”. Que Deus nos salve, mas, até Deus perderá seu espaço nos órgãos públicos com a aprovação do PLANO NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS!

  11. Cilas Celestino @ 2010-02-13 10:12

    O meliante deve ter a dúvida e o risco como mediadores restritivos de suas ações; deve imaginar que possui uma probabilidade maior de risco à sua vida, ao empreender suas ações criminosas e isso faz com que invasões a residências, assalto a coletivos ou a pedestres inexistam ou tenham índices insiguinificantes em países que facilitam e protegem o acesso da população civil a armas e munições, como exemplos, os EUA e a Suiça. A criminogênese apresenta a origem do crime nas causas e não nos objetivos ou consequências; é um absurdo, por exemplo, imaginar que se pode deter um “Serial Killer” (assassino compulsivo) impedindo-o de adquirir uma arma de fogo, por que sua compulsão psicológica por exterminar suas vítimas e empingir-lhes sofrimento vai muito aquém das definições de crime, punição para este ou consequências danosas que irá enfrentar no sistema penitenciário; a mente criminosa imagina,o homem criminoso planeja, as mãos criminosas executam; o resultado é a consumação do crime em toda sua tragetória: Motivação > Planejamento e Execução. O Estatuto do desarmamento é um engôdo apartir do momento que tem a pretensão de diminuir a violência combatendo apenas um, dentre tantos vetores de crime: A arma de fogo. Muito comumente se vê em noticiários de televisão, criminosos que quando entrevistados por repórters sobre porque escolheram o crime e a crueldade com suas vítimas responderem: “Ninguém têvi pena di mim, s’nhô, num tenho pena di ninguém não s’nhô, si tivé que matá, já é, tá ligadu?” Aí aparece um grupo de parlamentares sexagenários ( alguns deles octagenários) aprovar uma lei que tira a inviolabilidade do lar, amarra o cidadão, entrega-o a seu algoz e garante ao criminoso a prática do livre delito, num país onde grassa a impunidade, a desigualdade social e a concentração de renda. A alguns anos atraz, “jack, o estripador”, em Londres, assassinava e esquartejava suas vítimas; suas armas? uma boa lábia para covencer suas vítimas, pobres prostitutas a acompanhá-lo, um bisturi e um martelo para esquartejá-las após estrangulá-las. A arma utilizada foram suas próprias mãos. Mais recentemente, Francisco de Assis Pereira, o “Chico Estrêla” ou “O maníaco do parque” estuprou, assassinou e vilipendiou pelos menos 15 jovens moças no parque da mata do Estado em São Paulo. Seu instrumento de crime não foi uma arma de fogo, foi novamente, a lábia e suas próprias mãos para estrangular suas vítimas. “Armas não matam homens. Quem os mata são suas mentes criminosas, as mãos desses homens maus, e o dedo desses, que puxam impiedosamente o gatilho” ( John Mosses Browning)

  12. A coisa mais óbvia pois as pessoas de bem não a maioria da sociedade e armas nas mãos das pessoas de bem são armas usadas para bons fins, em geral, enquanto numa sociedade desarmada temos uma sociedade refem!

    A verdade dessa afirmação acima se confirma na reportágem, só a esquerda canalha para propor acusar a maioria dos cidadãos de criminosos, pois a esquerda adora acusar os outros das falhas que são da esquerda e mentir de forma constante, contumaz e insidiosa.

  13. Rodolpho @ 2010-02-18 22:13

    Neste Verdadeiro Puteiro que é esse Pais de M….
    (Me desculpem os termos chulos ,mas estou profundamente Indgnado.) Cidadães Honestos não podem comprar armas para se deferem de Criminossos.
    enfim o cidadão nesse lugar NÃO tem absolutamente nenhum direito mais nenhum mesmo.
    Vejam o caso do Desgraçado do “di menó″ que foi ums dos responsaveis pelo assassinato de uma criança arrastada para fora do carro por mais ou menos se não me engano ums 7 KM no Rio de Janeiro no começo de 2007.
    Sabe o que oeste Miseravel ganh um presentão “Dos Direitus dus Manus” e de uma AMALDIÇOADA ONG do Capeta. sendo solto alem de receber Proteção do Governo e podera talvez até ir para outro Pais com nova Indentidade recebendo Dinheiro e tendo até emprego estavel.
    enquanto os Pais de Familias são assaltados e Mortos
    os Idósos Espancados. as Mães estupradas nas frente dos filhos . sem nenhuma proteção do estado e sem nenhum direito de se auto preservar a si e sua familia.
    Marginais,Vagabundos, Politicos safados, ,Delinquentes
    de todas as especies recebem tratamento de Ungidos de Deus.
    Estamos passando por um Holocausto nas mãos dessas Reencarnações de Adolph Hitler que são representadas nos amaldiçoados mil vezes malditos direitus dus manus, na esquerda liberal, e por estes CANCERS MALGNOS denominados Ong,s
    Demonios Malditos um dia todos vc,s irão pagar por tudo que nos fazem Genocidas Desgraçados suas pestes.

  14. gilvan de Souza @ 2010-02-20 14:22

    Éstamos diante de um momento de maior perigo para a história, pois se continuar aí essa corja,Iremos ver nas ruas,Chaves, Mahmuds,Morales e nós como escravos, trabalhando para êles, estão enfiando decretos leis e portarias sincronizadas no sentido de tirar os direitos e os bens dos cidadãos honestos,em benefício de uma minoria de assaltantes de bancos e terroristas, é preciso que se faça algo com urgência, gilvan!

  15. Francisco Amaral Neves @ 2010-02-21 14:09

    É uma obviedade o fato de que o cidadão de bem portando e possuíndo armas de fogo fará com que os índices de criminalidade reduzam vertiginosamente pois o criminoso não atacará alguém que pode se defender , os bandidos e os ditadores preferem os indefesos.

    Porém no nosso país a realidade que constatamos é que determinados segmentos da sociedade querem que a criminalidade esteja livre e tranquila para agir , isto é fato pois quando essa idéia absurda que é o “estatuto do desarmamento” surgiram diversos políticos e sociólogos do tipo “bons samaritanos” e acusaram ferrenhamente as armas de fogo pelos crimes , mas nunca criticaram os indivíduos que puxavam o gatilho , todos eram vítimas e as armas sempre as culpadas.

    Depois de anos dessa lei criminosa em vigor , o que verificamos é que a criminalidade não se desarmou , pelo contrário está cada vez mais armada e mais agressiva e o cidadão menos protegido.

    Se o cidadão não exigir das autoridades competentes que tal lei seja tornada sem validade , o estado brasileiro corre o sério risco de se tornar uma terra sem lei , onde o crime irá se impor como força dominante inviabilizando o desenvolvimento social e econômico , tal como em muitas favelas cariocas , onde nem mesmo a polícia entra pois o estado paralelo que ali se instaurou possui armamento melhor que da própia polícia e exército.

    Temos que aprender a diferenciar quem é que age em defesa do interesse público e quem age em defesa de interesses políticos partidários , político que defende a idéia de que o cidadão tem que ser indefeso tem que ficar sem nenhum voto , temos que boicotar esses criminosos de gravata de ficha suja , pois a democracia sem a efetiva participação e fiscalização do cidadão nos assuntos públicos vira uma anarquia onde os corruPTos se servem dos impostos pagos pelo contribuínte para fazer avançar a agenda totalitária de um estado de desordem onde o cidadão é refém do medo.

  16. Assunto: Armas diminuem taxas de homicídio

    Adorei a natéria, mas não vamos tão longe em terras do tio Sam, aqui no Brasil em Goiânia GO, depois que a lei do desarmamento esta em vigos o índice de homicidios com vítimas de bandidos com armas de fogo triplicou, divulgem isto.

    Elvis R. Carvalho

  17. Luiz de Carvalho Ramos @ 2010-03-13 18:21

    Para não mentir ou ser omisso,devo dizer que para usar uma arma é necessário higidez mental (equilíbrio emocional) e ser muito bem treinado no seu manejo. Caso contrário, tudo pode acontecer. O homem é surpreendente e o cérebro pode, de um segundo para o outro, pregar uma peça. Agora, cabe à polícia estar preparada para o combate à criminalidade e, sem dúvida, os governantes devem bem remunerá-la melhor e atualizá-la.

  18. os bandidos armados e o cidadao de bem refen dos governos e dos bandidos e isso que eles queren para que na prossima eleiçao eles venhao com mais promessas apenas promessas o brasileiro esta perdido e os governantes nao estao nen ai desarmar os cidadoes e o mesmo que convidar os bandidos para que entrem en nossas casas os governates estao ben protegidos eles poden pagar mais com dinheiro do povo…..

  19. Eu gostaria muito que o Brasil fôsse um país tão moralmente forte e com instituições sólidas e idôneas como nos EUA.

    Alguns me perguntam o porque de tais estatísticas nos EUA comprovarem que não há relação entre a população se armando e um aumento em homicídios.

    Eu sempre respondo o seguinte: porque lá a justiça visa condenar e não reformar, lá a justiça priva o criminoso da liberdade não como apenas penalidade por seu delito, mas por também entender que preso tal criminoso representa menor risco à sociedade; porque lá a justiça realmente condena e não há trocentos atenuantes e regimes de progressão de pena; porque lá homícidio é sinônimo de 3 ou mais décadas garantidas trancafiado atrás das grades, ao contrários dos pífios 12 a 30 anos do Brasil(isso sem atenuantes e regime de progressão de pena). Lá as leis tratam os criminosos como os vilões que são, e não como pobres coitados em busca de salvação e auxílio (como são vistos no Brasil).

Add your comment now


8 − dois =