Como deter a matança de inocentes

Escrito por Joseph Farah - 17 Dezembro 2012

Tradução: Julio Severo www.juliosevero.com
Do artigo do WND: How to stop the slaughter of the innocents

A verdade é que todo dia civis armados impedemassassinatos em massa.

Depois do massacre na Escola Primária Sandy Hook, será que deveríamos deixar que os políticos e os meios de comunicação estatais que vivem cercados de
seguranças armados o tempo inteiro ofereçam exatamente a prescrição errada para deter a matança de mais inocentes?

Assim como dá para prever o avanço dos ponteiros do relógio, dava para prever que aqueles que buscam um monopólio estatal sobre o poder de fogo explorariam uma tragédia como essa para impor soluções inconstitucionais, contraprodutivas e antiamericanas para resolver uma bagunça que eles ajudaram a criar.

Permita-me lhe dar algumas coisas para pensar — coisas que você provavelmente não ouvirá nem lerá em nenhum outro lugar.

Primeiramente, considere a razão por que Israel, uma nação cercada por loucos que buscam matar crianças judias inocentes de todos os jeitos que puderem, raramente vê os tipos de carnificina que os EUA testemunharam em Newtown, Connecticut. Posso lhe mostrar numa única foto, que não requer nenhuma explicação adicional.

Veja a foto no artigo original em:  How to stop the slaughter of the innocents

É um fato que muitos assassinatos em massa como o que testemunhamos na Escola Primária Sandy Hook foram evitados porque crianças e adultos inocentes não foram deixados sem defesa. Eis apenas alguns exemplos:

* Em 1 de outubro de 1997, Luke Woodham, de 16 anos, membros de uma religião satânica, deu facadas e porretadas em sua mãe antes de dirigir o carro dela para a Escola Secundária Pearl em Pearl, Mississippi, onde ele matou a tiros dois estudantes e feriu sete outros com um rifle que ele não fez tentativa alguma de esconder. Ele então voltou ao carro de sua mãe e planejava ir para a Escola Intermediária Pearl para matar mais alguns. Mas o vice-diretor Joel Myrick pegou sua pistola calibre .45 do porta-luvas de seu caminhão e subjugou Luke.

* Em 16 de janeiro de 2002, Peter Odighizuwa, de 43 anos, da Nigéria, foi à Faculdade de Direito Apalachiana na Virginia com uma pistola e matou três e feriu outros três. Com o som dos tiros, dois outros estudantes — que eram policiais — pegaram suas armas de seus carros. Enquanto isso, outro policial e um ex-fuzileiro naval pularam em Peter e o desarmaram na hora em que os outros policiais chegaram à cena.

* Em 23 de agosto de 1995, um bando de viciados em crack entrou numa loja em Muskegon, Michigan, com um plano de matar a todos e roubar dinheiro e joias suficientes para alimentar seu vício. Um membro da gangue atirou quatro vezes nas costas de Clare Cooper, dono da loja. Ele ainda conseguiu dar um jeito de pegar sua espingarda e atirar na gangue em fuga. Todos foram presos.

* Em 9 de dezembro de 2007, Matthew Murray, um homem armado de 24 anos, lançou uma ataque contra os membros da Igreja Nova Vida em Colorado Springs que deixou duas vítimas mortas. Uma ex-policial, Jeanne Assam, membro da equipe de segurança da igreja, atirou em Matthew 10 vezes, matando-o, enquanto ele estava atirando nela. Matthew havia matado outras quatro pessoas numa igreja a 112 km de distância naquele dia.

* Em 24 de julho de 2012, Richard Gable Stevens alugou um rifle num campo de tiro ao alvo em Santa Clara, Califórnia, e ajuntou três empregados do lado de fora da porta, dizendo que pretendia matá-los. Um dos empregados, porém, estava carregando uma pistola calibre .45 e atirou no agressor.

* Em 17 de dezembro de 1991, dois homens armados com pistolas roubadas ajuntaram 20 clientes e empregados de um restaurante Shoney em Anniston, Alabama, fazendo-os entrar num grande refrigerador e trancando-o de modo que eles pudessem roubar o estabelecimento. Contudo, um dos clientes estava armado com uma pistola calibre .45 escondida debaixo de uma mesa. Ele matou a tiros um dos criminosos armados. O outro assaltante, que estava mantendo o gerente do restaurante como refém sob a mira de uma arma, começou a atirar no cliente. Mas ele foi revidado por tiros que o deixaram com ferimentos tão graves que deram um fim no crime.

* Em 13 de julho de 2009, um homem armado entrou no Mercado Golden Food em Richmond, atirando e ferindo um caixa enquanto estava atirando nos clientes do mercado. Ele foi atingido por outro cliente que tinha uma licença para portar arma escondida, provavelmente salvando as vidas de outras oito pessoas no mercado.

* Em 29 de julho de 2012, Charles Conner atirou e matou duas pessoas e seus cães no parque Peach Tree RV em Early, Texas. Vic Stacy recebeu uma ligação de um de seus vizinhos, pegou sua magnum .357 e atirou na perna de Charles. A polícia chegou antes que outras mortes ocorressem.

A verdade é que todo dia civis armados impedem assassinatos em massa.

Contudo, toda vez que há uma horrenda matança como a que vimos na Escola Primária Sandy Hook, há um clamor automático para desarmar mais as pessoas.

Espere um minuto! O perpetrador desse crime roubou suas armas da casa de sua mãe depois de matá-la! Ele tentou comprar um rifle dias antes, mas foi rejeitado.

Nenhuma lei poderia ter impedido essa matança, a não ser que todos os cidadãos obedientes à lei fossem desarmados. E isso simplesmente resultaria em mais mortes e carnificina — e o fim da liberdade para todos.

O massacre de Sandy Hook poderia ter sido minimizado, ou até mesmo totalmente impedido, se apenas uma professora ou diretora da escola estivesse armada — uma professora como a que você está vendo nessa foto de uma escola primária de Israel.

, ,
Trackback

4 comments untill now

  1. Flávio Marcos @ 2013-01-23 19:54

    Excelente matéria!

  2. Nelson de Azevedo Neto @ 2013-01-24 16:30

    Esta matéria vem em encontro do que já comentei em outros fóruns e blogs… Como alguns que reproduzirei abaixo:
    …………………………………………..
    Um comentário que fiz no blog do Reinaldo Azevedo em resposta à um outro comentário que afirmava que armas-de-fogo não oferecem nenhuma proteção ao cidadão, pois os bandidos então melhores preparados… Segue o texto:
    ……
    Nelson de Azevedo Neto – 16/12/2012 às 21:42

    Informo … que trata-se de mero equívoco a sua explanação… Pois se assim fosse eu já teria morrido, pelo menos, algumas dezenas de vezes… Então que registre-se que com quase meio século de vida, reagi à todas as tentativas de assalto que sofri, estando armado ou desarmado, em casa ou na rua… Além de outras tantas vezes que fui em auxílio à terceiros próximos que estavam sob a ameaça de meliantes… Fui bem sucedido em todas elas… Afugentando ou enquadrando/dominando os vagabundos… A primeira reação, que eu bem me lembre, se deu ainda quando eu tinha apenas 8 anos contra a ação de 2 pivetes um pouco mais velhos que tentaram me roubar em plena Copacabana (Rio-RJ)… E, a última ação, esta de abordagem a 3 suspeitos, se deu à pouco mais de um mês, durante a madrugada defronte a minha residência… Nesta, como em muitas outras, cheguei à solicitar auxílio à PM (“Estou até hoje esperando o apoio”)… Aliás, corrijo, a última vez faz menos de uma semana, quando minha vizinha aos gritos me pediu socorro solicitando que eu chamasse a polícia, pois haviam arrombado e invadido a sede da igreja que ela é frequenta… Desta vez a PM chegou!… Mas só após a fuga dos invasores… Por tanto, meu caro Dalton, com pleno conhecimento de causa e efeito, posso lhe garantir que a maioria das reações bem sucedidas de cidadãos comuns à ações de meliantes, por circunstâncias diversas, sequer constam de boletins de ocorrências, e muito menos são registradas pelas mídias jornalísticas… Mas, garanto, que ações de cidadãos que se negam à si curvarem diante da sanha de marginais, como também, a reação de “anônimos desconhecidos” que arriscam as próprias vidas para tentar salvar a vida de seus semelhantes inocentes e/ou indefesos, se dão à todo momento em cada canto deste país… Mas, na maioria esmagadora das vezes não se somam as estatísticas e, muito menos, figuram nos noticiários… Também posso lhe garantir que tudo se torna mais fácil e/ou menos arriscado quando o cidadão-de-bem age ou reage com o auxílio dissuasório e/ou “persuasivo” de uma arma-de-fogo… Desde que, é claro, este tenha um mínimo de sapiência, equilíbrio, e familiaridade com o providencial e protetivo instrumento de defesa… E, estas qualidades/capacidades, ao contrário do que muitos leigos afirmam, não se limitam só à agentes policiais ou bandidos… E eu, entre tantos, também sou um exemplo vivo disso!… No mais, só me resta desejar, BOA SORTE à todos Nós… Pois, A COISA TÁ FEIA!!!
    ………………………………………..
    Outros comentários que fiz na enquete da Câmara dos Deputados do Congresso Nacional, sobre a revogação do Estatuto do Desarmamento:
    …..
    Ao Rodrigo | 15/01/2013 15:48;
    Não prejulgue o temperamento e/ou equilíbrio emocional de todos os demais cidadãos brasileiros baseado em suas próprias incapacidades e/ou temores… Além do mais e até o presente momento, desconheço qualquer instrumento mais eficaz para dissuadir e/ou neutralizar a ação fortuita de um facínora ou de um eventual agressor armado em estado de fúria, DO QUE UMA ARMA-DE-FOGO EM POSSE DA POTENCIAL VÍTIMA E/OU DE TERCEIROS PRÓXIMOS IMBUÍDOS DO MAIS NATURAL INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA E PLENAMENTE CONSCIENTES E RESGUARDADOS PELO LEGÍTIMO DIREITO DE DEFESA… Portanto Rodrigo, você decidir entregar o destino da sua segurança pessoal nas mãos de terceiros ou da própria sorte é um direito seu… Mas, lutar para garantir de forma plena e plausível o direito primário de autodefesa, de proteção de entes queridos, do semelhante próximo e indefeso, ou do patrimônio, é uma obrigação de qualquer indivíduo humano racional que se preze… Capiche, “camarada”????
    …..
    Os argumentos contra o FALACIOSO, MALFADADO, REPUDIADO, ANTIDEMOCRÁTICO, E INCONSTITUCIONAL, Estatuto do Desarmamento são fartos e plenamente fundamentados… Mas, me parece que nada disto adianta para convencer os TIRANOS (pseudos)DESARMAMENTISTAS… Então só me resta comunicar a todos que compactuaram diretamente e de forma SÓRDIDA para este acinte ao cidadão contribuinte que: NÃO ACATO ORDENS DE BANDIDOS, INDEPENDENTE DO QUÊ ESTES ESTEJAM TRAVESTIDOS OU DO TÍTULO QUE OSTENTEM… CAPICHE ???
    …..
    … E só pra finalizar, repito: Acho que já passou da hora dos bons cidadãos brasileiros se imbuirem da CORAGEM e da OUSADIA necessárias para “bater de frente” com os PREDADORES que estão “consumindo” este país e, por tabela, vitimando toda sua população… Pois; JÁ BASTA DE NOS CUVARMOS À TIRANIA DOS CANALHAS… E que; ASSIM SEJA.

  3. drtoivowillmann @ 2013-02-09 09:51

    Prezados Defensores da legítima Defesa:

    Eu mesmo posso contribuir com uma VIVÊNCIA.
    Décadas (tenho 56 anos) antes de viver no Brasil, vivia em Panamá. Ali foi muito fácil conseguir a carteira de porte de aramas de fogo, custou apenas US$ 12,- .
    Portava uma brasileira semiautomática, TAURUS PT 99 AF, cal. 9mm parabellum (não existia ali esse negócio de calibres restritos). Era uma pistola do exercito, que já assustava pelo imenso tamanho. Tinha o coldre acima do peito, debaixo do braço, uma simples camisa acima e fora da calça: se veia de longe, que estava (muito bem armado).
    Tinha amigos favelados e cada vez, que tinha trenado na galeria de tiro, dei a eles meus melhores alvos (apenas com buracos no centro), como presente. Rapidamente eles espalhavam o fuxico, que eu era ex-mercenário e muito rápido de tiro (tudo mentira deles!).
    Resultado: portando a Taurus, nunca fui assaltado. Apenas uma ÚNIA VEZ, quando o governo de Panamá, por uma crise política, suspendia todo porte de arma civil e eu andava SEM MEU AMIGO DE 9 MM, fui assaltado imediatamente.
    Arma não protege? Amigos, claro que sim!!!

    Abraço: Toivo

  4. SERGIO C. B. MONTEIRO @ 2013-02-26 10:12

    Armas foram sempre necessárias para auto-proteção. Num país como nosso onde estamos expostos a violência e somos assaltados em via pública por sequestros relâmpagos, assaltos em sinaleiras, arrastões em restaurantes e até na praia, flanelinhas, guardadores de carros e outros escambaus, sem falar que, quando chegamos em casa de noite, após um dia árduo de serviço, somos assaltados à porta de nossa casa ou garagem, por ladrões assassinos treinados com armas de fogo que não sabemos como conseguem com tanta facilidade, enquanto nós, cidadãos de bem, temos que registrar nossas armas na PF a altos custos, justamente para nos dificultar a posse. Eu, pessoalmente, tenho armas e treino nos estandes de tiro com instrutores, embora não precisasse pois sou Reservista de Primeira Categoria do Exército Brasileiro, por onde passei e treinei com diversas armas de calibres muito superiores a essas que costumeiramente mantemos em nossas casas. Mas a impertinência de quem governa, que deixou o país ficar nesse caos cheios de assaltantes e seus cidadãos a sua mercê não querem que cidadão se proteja, quando em contrapartida não dá a mínima segurança aos mesmos. Acho que um povo sem educação, refém de proibições estúpidas está fadado a sofrer também a imposição de uma ditadura que esse governo, que se diz democrático, quer nos impingir. É lamentável o cidadão não ter direito de se auto-defender num país que não tem a mínima segurança, é só olhar e ver em volta o que os noticiários diários informam: Assaltos, Assassinatos, Roubos a Mão Armada, Sequestros, Arrastões e até Trucidamentos.

    Tudo indica que quem faz essa leis tem medo e quem tem medo tem culpa de algum ato escuso que tenha feito.

Add your comment now


+ 4 = seis