04/09/2010 – 09h56

Marcel Alcântara / Gislene Rosa
Assessores

“O desarmamento da população não é uma forma eficaz de combater a elevação no número de homicídios”, destaca Bene Barbosa, especialista em Segurança Pública e presidente do Movimento Viva Brasil, que não se surpreendeu com os resultados da pesquisa divulgada nesta semana, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostrando que a taxa de homicídios no Brasil cresceu 32% no período de 15 anos, saltando de 19,2 mortes a cada 100 mil habitantes em 1992 para 25,4 em 2007.

Ele cita especificamente o caso do Estado de São Paulo que vem reduzindo seus homicídios desde 1999, ou seja, “muito antes de qualquer campanha e muito antes do Estatuto do Desarmamento”. O especialista ressalta que Pernambuco, um dos estados onde a Campanha do Desarmamento mais teve força e apoio de políticos e autoridades locais, o índice de criminalidade violenta explodiu nos últimos anos.

A Campanha do Desarmamento foi iniciada em 2003 com a elaboração de um estatuto específico que incentiva a entrega de armas de fogos em postos da Polícia Federal e dificulta a aquisição de armas de fogo e munições pela população.

De acordo com Barbosa, modelos de outros países podem ser tomados como parâmetro para a situação brasileira. “Hoje, os EUA possuem 275 milhões de armas nas mãos dos civis. Mesmo assim, eles possuem uma taxa de homicídios de 4,5 pessoas por 100 mil habitantes e todos os tipos de crimes vêm diminuindo nos últimos 10 anos.”

, , ,
Trackback

7 comments untill now

  1. Eu, cidadão ??? @ 2010-09-06 23:30

    Estamos “fritos” nas mãos dos bandidos. A liberação de armas para todos os cidadãos aptos a manuseá-las, com certeza daria um freio na criminalidade. Digo isso porque, as polícias nunca darão conta de conter a bandidagem, que inclusive, é beneficiada constatemente por “leis” que lhes premiam constantemente contrariando o ditado que diz que “o crime não compensa”. No entanto, no Brasil, “o crime compensa sim”, que o diga os deputados e senadores que criam leis, que favorecem a bandidagem como a progressão de pena, indultos, encontros íntimos, cursos nas cadeias… um monte de mordomias que o cidadão honesto não possui.Enquanto os delinquentes são beneficiados, a VÍTIMA JÁ ERA!!!!!

  2. Cilas Celestino @ 2010-09-13 18:09

    O Brasil é uma casa de putas comandada por mãe Joana…Quem será essa “mãe Joana”? no dia primeiro de Janeiro de 2011 ela tomará posse, eleita pelas pessoas que ficaram sem o direito à legítima defesa e que não tiveram seus votos respeitados no último referendo sofre a proibição da venda de armas e munição… Mais uma vez o PT venceu, vence e vencerá! Ad Sumus!!! ( aqui estamos )

  3. Não poderia ser outro resultado pois se trata de fatores matemáticamente relacionados, quem disser em contrário esta mentindo.
    Pessoas de bem armadas produzem mais segurança geral, pois protegem a si mesmas e se protegem mutuamente, assim como à sua propriedade.
    Acreditar que a polícia sozinha conseguir dar cabo de toda esta proteção é utopia, ademais às polícias cabe a segurança pública e nossa legislação reserva a segurança da propriedade privada à atividade privada, ou seja, cada um tem que prover segurança ao que seja seu.

    Isto eles nos escondem, ou seja, no final não se responsabilizarão por nosso dano porque a lei assim determina e ao mesmo tempo não nos deixam que nos protejamos. Estamos reféns da polícia, do judiciário e de um estado que não funciona e que não querem que funcione.
    A polícia coopera com o cidadão e este com a polícia, assim se faz segurança e assim se evita que se precise acorrer ao judiciário, assim se estabelece o Estado-de-Direito em firmes bases e se evitam danos por vezes irreparáveis e imitigáveis.

  4. E já reservava das interpretações e da criatividade humana o adágio antigo que em latim resume.

    Plus a malo prohibet timor quam lex. – Do mal, mais afasta o medo do que a lei.

    Portanto, a dita violência que de fato é, em sua grande maioria, resultado de crimes prospera onde prospere o crime, logo, onde se tenha a ilusão de ser a lei óbice maior que o medo.
    O medo só existe ante a ameaça objetiva, por conseguinte ante ao cidadão armado que esta imbuído na defesa da verdade, da justiça, da vida, da integridade moral e física, da propriedade e de tantos outros princípios.

  5. Por que não se faz disso um bandeira e tentamos falar e movimentar a nação uma vez apenas. Porque não exigimos o reparamento de tantas mortes injustas através da mudança total deste cenário caótico? Devemos lutar para que toda essa indignação não fique apenas aqui nos Blogs da internet

  6. Isso tem que ser mais divulgado. Façam uma página no facebook, repassei a noticia no orkut e várias pessoas apoiam o porte de armas mas não tem representação.

  7. Paulo Ferreira @ 2010-11-20 22:37

    Impossivel continuarmos da maneira que esta. estamos desarmados e os bandidos sabendo disso nos assaltam a vontade. Perdemos o nosso direito de defesa. Tem que voltar o direito de termos armas em nossa casa.

Add your comment now


+ 5 = nove